domingo, 28 de abril de 2013

Aos pouquinhos vou-me sentindo melhor, já acendi a TV (coisa que não fazia há 7 dias), e já engordei 1Kg...

terça-feira, 23 de abril de 2013

59,3Kg

Deve ser da depressão! Sabem há quanto tempo não pesava isto?

Custava muito...

Tentarem conhecer-me mesmo?!?!

Grande e final desabafo...

Como é que posso explicar o que se passa comigo se nem eu própria consigo perceber?
Desilusões, já sofri a minha dose delas. Esperança desfeita, demasiadas vezes...
Mas porque é que a minha parte emocional vira farrapo quando algo foge do meu controlo? Eu não controlo nada, é verdade, mas se não sou eu a tomar parte da decisão, então é uma decisão que me custa a aceitar.
Revelei-me demais, provavelmente foi isso que aconteceu... Mas se não me tivesse revelado, iria se calhar prolongar a coisa por mais algum tempo, iria enganar-me e tentar ficar com migalhas... Não sou mulher para migalhas!
Sinto-me novamente a ter as crises existenciais da adolescência (que se prolongaram até aos 23 anos)... Tive-as até encontrar a única pessoa que realmente amei, e que embora já sem amor, tenho muito carinho e amizade. Foi essa pessoa que ontem me deu na cabeça, desiludido por me estar a ver cometer os mesmos erros do passado, e com as mesmas pessoas. Mas foi essa pessoa que ontem teve uma palavra amiga e uma mão para me oferecer. Foi essa pessoa que me arrastou para fora da cama, quando eu me sentia culpada e a pior pessoa do mundo por me ter envolvido novamente com alguém que já em tempos passados tinha sido um erro.
É certo que o assustei, porque abri ligeiramente o meu coração, por desejos e sonhos antigos, ou até talvez numa tentativa de retroceder 5 anos na minha vida, mas agora com um final feliz. Doeu mais do que terminar um relacionamento saturado de 4 anos.
Foram 4 vezes de desejo cada vez mais incontrolável. E eu deixo-me abater assim por isso?
Quem sou eu afinal? A mesma adolescente depressiva ou uma mulher?
Ou serei tão má pessoa que o meu futuro é tapar buracos?
Porque é que não nutri a minha antiga relação, não cuidei dela, embalei-a e investi mais? Porque é que não me acomodei o que tinha?
A euforia do acabou... Para 2 meses depois estar assim, lá no fundo do poço do qual tanto o Miguel se esforçou para e tirar. Só que agora este poço é mais vazio, mais silencioso, mais deprimente, mas angustiante... Porque agora vivo sozinha. Não há motivação para fazer comida, ou mesmo comer, ou lavar a louça, ou roupa, nem sequer para cuidar do gato... Até má dona do meu Pablo eu me tornei.
Então é ver-me desaparecer, em peso e em pessoa, com medo de uma possível depressão à porta, por razão nenhuma em concreto.
Não me descobri. Não sei o que quero da vida. Não sei o que esperar deste país, nem da minha profissão.
Tenho vergonha destes últimos 2 meses, da pessoa que fui, das expectativas que tive, como se desse relacionamento carnal eu tivesse toda a felicidade, migalhas apenas... Era por isso que quando ele virava as costas e saía, eu me sentia insatisfeita, insegura, ansiosa, inquieta. Como se ele fosse a minha droga e eu não  soubesse onde e quando teria a minha próxima dose. Era dependente dele para ter alguma alegria na minha vida, neste momento tão negro!
Mas a verdade, após este testamento, é que eu não posso amar ninguém antes de me amar a mim própria; o que fazer para isto mudar eu não sei; nem sei por onde começar...
É levar como os toxicodependentes, um dia de cada vez...
E que ninguém me toque, e que ninguém se aproxime... E que alguém se arrependa! A partir daqui isto é assunto morto e enterrado.
Vou ser uma Mulher!

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Alguém disse...


Eu tive um pressentimento. Senti que qualquer coisa não estava bem.
Quando ele saiu daqui pela última vez, em vez de entusiasmada, fiquei nostálgica e pior... Eu sabia que eu ía ser rejeitada novamente.
Olha, foi desta que o fogo apagou-se mesmo! E a fome também...

domingo, 21 de abril de 2013

Pior

Quando me deveria acalmar, só me deixa pior... Assim não sei sequer se vale a pena!

sábado, 20 de abril de 2013

Novo apetite!

Sabes mesmo o que gosto? Gosto das teus braços à minha volta, do calor do teu corpo encostado ao meu! Adoro as tuas mãos nas minhas costas e no meu pescoço... 
Perderia-me em ti todas as horas do dia, bastava que o quisesses. Ser-te-ia fiel e seguir-te-ia até ao fim do mundo se fosse preciso, se assim o desejasses...
Se nunca me fartei até agora, menos me fartaria. És estranho mas eu gosto... Adoro mesmo! E o meu maior desejo é que sejas meu, completamente meu, todo meu...

Estes são os meus apetites ultimamente... Nada de comidas, nada de controlo de peso (embora hoje só para confirmar 60,8Kg), o meu apetite é este... É carnal e dirigido, e eu não me consigo desligar!

domingo, 14 de abril de 2013

E ontem diverti-me! Adorei! E ouvi carradas de comentários em como estava tão magra... AH! Que bom, algo para me fazer bem ao ego.

sábado, 13 de abril de 2013

Ontem tive um quebra, ontem a nível de nervos transformei-me num farrapo, no farrapo que andava escondido, disfarçado...


quinta-feira, 11 de abril de 2013

Continuando em regime, com mais dicas:

É meu e é a leitura de mesa de cabeceira!

E e ando com umas fomes...
Tenho de me capacitar que tudo agora é diferente... E o que me deixa mais em baixo é que, ainda assim, nada é como e quero.
Ando cansada, eternamente cansada da minha rotina e do meu dia-a-dia sempre igual. Nesta casa sozinha, o telefone não toca, o telemóvel não recebe nada, e eu falo para as paredes.
No trabalho não quero estar, e estou cansada de pessoas a pedir e a exigir...
No fundo, quem se preocupa comigo, quem se importa com as minhas necessidades?! Até o meu gato anda interesseiro...
Estou mesmo em baixo, pálida, olheirenta, cansada da vida... Férias?! Até que ansiosamente espero pelas minhas férias, mas provavelmente todos os meus planos semi-delineados irão por água abaixo. Ainda falta tanto para Julho... Mas será que vou estar ocupada, divertida em Julho? Será?
Ou será que me vou afundar com tempo a mais e ocupação a menos?

Tenho medo... Tenho medo que a minha vida passe a ser só isto, que nunca mais me cruze com gente interessante, que fique parada no tempo e que não tenha nada de melhor reservado para mim...

Voltar atrás não voltava! Não voltava! Mas e agora? Com este presente, como terei um futuro?!

Detesto mandar mensagens para o vazio, mas ultimamente é o que mais faço.
Preciso de sentir de novo as borboletas do estômago, a excitação de algo novo e intenso. Preciso de apanhar uma bebedeira daquelas, como há anos não apanho e acho que já nem sei apanhar...
Preciso de voltar aos meus 20 anos e recuperar... Recuperar a alegria de viver!?!? 
estou a envelhecer, e não tenho nada de novo na minha vida, nada que valha a pena lutar...
E nem a própria profissão merece investimento!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Nova tentativa, resposta zero! Não se pensa mais nisso...

E no entanto de que serve acordar sem um objectivo? De que serve uma folga e não poder pintar a manta com ela? Passei tempo demais em casa nas minhas folgas, agora apetece-me sair e ver gente, não ficar em casa sozinha a deprimir...

Ficar em casa, só se eventualmente tivesse alguma resposta!

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Aos poucos...

A sensação de desilusão e vazio vai sendo substituído por raiva, rancor... Ela faz-me avançar, e não esmorecer.
Mas ainda assim, era tão mais fácil receber uma mensagem, uma notícia, alguma coisa...

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Desilusão...

Não gosto que me venham por pena e implorar por nada. Não gosto. Não me dá mesmo prazer nenhum, ainda para mais quando é de alguém por quem sinto estima.
A verdade é que detesto que me peçam algo que não posso dar.
E hoje, juntou-se mais uma desilusão a outras que têm vindo a surgir.

Pergunto-me tantas vezes, para quê sonhar? Onde me levam estes sonhos senão para um poço sem fundo? Uma tristeza desoladora me acompanha estes dias, e tudo o que eu queria era uma notícia, uma mensagem, mesmo que nela estivesse escrito tudo o que não queria ter de ler, mas ainda assim seria melhor que o silêncio absoluto, ou será desprezo?!

Lykke Li - 'Sadness Is a Blessing' (Director Tarik Saleh)


My wounded rhymes make silent cries tonight
My wounded rhymes make silent cries tonight
And I keep it like a burning(?)
I'm longing from a distance 

I ranted, I pleaded, I beg him not to go
For sorrow, the only lover I've ever known 

Sadness is a blessing
Sadness is a pearl
Sadness is my boyfriend
Oh, sadness I'm your girl 

These scars of mine make wounded rhymes tonight
I dream of times when you were mine so I 
Can keep it like a haunting
Heart beating close to mine 

Sadness is a blessing
Sadness is a pearl
Sadness is my boyfriend
Oh, sadness I'm your girl 

I ranted, I pleaded, I beg him not to go
For sorrow, the only lover I've ever known
Every night I rant, I plead, I beg him not to go
Will sorrow be the only lover I can call my own? 

Sadness is a blessing
Sadness is a pearl
Sadness is my boyfriend
Oh, sadness I'm your girl 
Sadness is my boyfriend
Oh, sadness I'm your girl
Oh, sadness I'm your girl